quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Era uma vez um cliente e um atendimento nos EUA...

Ah, boas lembranças... minha primeira vez em solo estrangeiro. Meu destino final era o Q-Center, em St. Charles, cidade satélite de Chicago.

Mas aproveitando que ia para os Estados Unidos para fazer o Core Analyst School da Accenture, por que não passar em outra cidade e ver um show da minha banda favorita, o Sister Hazel?

O show aconteceu na cidade de North Myrtle Beach, South Carolina, no House of Blues.

Cheguei no aeroporto da cidade, e em vez de alugar um carro logo de início, preferi pegar um taxi até um Motel qualquer, desde que próximo ao House of Blues.

Chegando no Motel, a diária era 77 dolares, por dia. Valor muito acima do que eu esperava. Andei um pouco pela região, e descobri que a cidade de North Myrtle Beach não tinha nada para fazer. Toda a badalação, shoppings, etc. ficava em Myrtle Beach. Ambas as cidades eram minúsculas, mas entre uma e outra havia uma viagem de cerca de meia hora.

Dai então somei: hotel caro + nada para fazer além do show = preciso arranjar um Motel em Myrtle Beach.

Entrei na internet, e fiz uma reserva de um carro para o dia seguinte. A locadora ficava a duas quadras de onde eu estava hospedado.

Cheguei então na Enterprise Car Rental, e solicitei o carro. Entretanto, eles só alugavam carros para quem tivesse carta de motorista americana ou internacional. No caso, eu só tenho a CNH mesmo.

Eu perguntei então se havia alguma outra locadora que alugaria um carro para mim. O atendente prontamente disse que a Hertz possivelmente o faria. Na sequencia, ele pediu para eu esperar um pouco.

Ele fez uma ligação para alguém da Hertz, falando da minha situação. Disse também que tinha feito uma reserva com eles, e eles não poderiam me fornecer o serviço.

A Hertz, ficava a cerca de 15 minutos de carro da onde estávamos. Eu precisaria pegar um taxi para ir até lá. Mas, eu não precisei me preocupar com isso.

O atendente da Enterprise, chamou um funcionário que cuida dos carros na garagem, e pediu para que ele me levasse até Hertz. Bom, isso já seria excepcional, mas teve mais.

Já no carro, fui conversando com o motorista, e disse que tinha procurado alguns moteis em Myrtle Beach, e perguntei se ele conhecia algum outro, ou se sabia como chegar no que eu falei.

Ele perguntou o endereço do motel que eu falei. Como as duas cidades tinham avenidas com nomes iguais, ele fez questão de passar na avenida da cidade North Myrtle Beach, onde estávamos, para garantir que eu tinha visto o endereço certo do Motel. Fomos até lá, e realmente eu tinha o endereço de Moteis de Myrtle Beach.

Quase meia hora depois rodando pela cidade vendo se os moteis que eu tinha eram realmente de Myrtle Beach, chegamos a Hertz.

Agradeci milhares de vezes. Eu estava inconformado, completamente surpreendido pela quantidade de favores que me fizeram, e ainda por cima me levaram até o concorrente.

Enfim, entrei na Hertz, e fui até o atendente.

- Oi, eu estava na Enterprise, porém eles não podiam locar pra mim por causa da minha habilitação. Então o John ligou para vocês. Foi com você que ele falou?
- Foi comigo mesmo. Nós temos alguns carros disponíveis aqui!

Eu obviamente solicitei o mais barato. O carro que eu havia reservado na Enterprise, custava, somente a locação (sem seguro), 30 dolares.

- Então, o mais barato que temos é o Chevrolet Cobalt, que custa 85 dólares a diária.


Fiquei branco, eu estava a 15 minutos do Motel, no meio do nada, e o preço era absurdamente mais caro. Voltar para o motel custaria alguns preciosos dolares. Então, disse:

- Poxa, 85. O carro que tinha reservado na Enterprise era 30, vocês não tem nenhum mais barato? 85 é realmente fora de cogitação pra mim.

Ele pediu um momento e ligou para a Enterprise.

- Tudo bem! Este é o carro mais barato que temos, mas vamos melhorar para você.

Ele comecou a mexer no computador, e finalmente chegou em um novo e ótimo valor. E se desculpou na sequência.

- Posso fazer por 44 pra você. Tentei fazer por 30, mas o sistema da Hertz não deixa, ja coloquei todos os descontos que eu poderia fazer – mostrando no monitor o erro que dava quando ele tentava abaixar mais o preço.

Eu quase chorei de alegria. Não podia ser verdade.

Somando seguros (peguei todos possiveis e imaginaveis), o preço ficou em 88/dia.

Claro que o valor 85/dia no carro era muito caro para o carro, mesmo sem ter uma reserva, e esse descontão fez parte de um chaveco. Porém, chaveco a parte, a única coisa que posso dizer sobre o atendimento é: sensacional! Os concorrentes se ajudaram, a Enterprise gastou dinheiro levando um cliente para Hertz.

Será que são do mesmo dono? Será que isso só aconteceu porque era uma cidade do interior? Será que dei sorte de encontra pessoas super prestativas? Será que é tudo isso junto e mais alguma coisa?

Eu sinceramente não sei responder essas perguntas, só sei que isso rendeu: peguei o carro, fui para Myrtle Beach, achei um Motel pela metade do preço, mais bem localizado, de frente pro mar e mais limpo. Fui ao shopping, comprei um monte de coisas, fui a balada, etc, etc, etc. Fiz dinheiro para cidade, sem o carro não o teria feito! Foi o estado da arte na questão de atendimento pra mim…

Minha dúvida é: será que isso se repetiria no Brasil?

1 Comentário:

Andree Symond disse...


Posting an advertisement of your car on websites like [www.vendecarros.do] can certainly help.
Thousands of people visit these websites every day, giving you a better chance of getting a potential buyer. Don't forget to post on local classifieds ads,Vendo carro


Homero Carmona... © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO