segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Seja um bom garçon!

Como a gente deve começar um ano? Pulando 7 ondinhas? Todo de branco para ter paz? De vermelho pra ter amor? Ou de verde pra ter dinheiro?

Bem que eu poderia, mas não seria excessivo dizer que se você passou de verde, provavelmente o resto você consegue resolver.

Como bom paulistano, fiz questão de começar o ano comendo muito bem... e eis que vivi neste fim de semana dois exemplos felizes de bom atendimento em situações bem diferentes.

A primeira delas, na sexta-feira, foi a Pizzaria Quintal do Bráz (http://quintaldobraz.com.br/index2.html): Pizzas à aproximadamente 40 reais, sucos a 5 e sobremesa a 10. Um excelente lugar para se levar a família, namorada, etc. Porém, por este preço, eu não posso esperar nada menos que um atendimento fenomenal, no qual eu me sentiria praticamente um rei... e nessa rede de pizzaria, é assim que acontece. Comida de primeira, atendimento rápido, garçons que se apresentam pelo nome e te atendem como se você fosse um lord inglês.

Já no domingo, me dirigia à rodoviária, e resolvi passar por uma lanchonete, no bairro do Paraíso, a King's Fast Food... padoca, boteco... dependende de quem fala, e do que se procura. Quando se vai a um lugar desses, se espera apenas uma comida razoavel, compreço baixo, e que o atendente não xingue nem sua mãe, nem seu pai.

Não sei se o lanche que me serviram era realmente de Fillet Mignon como eu havia pedido, mas em menos de 5 minutos, estava na minha frente, customizado (acebolado), e realmente uma delícia. Para acompanhar, eu e minha companheira pedimos um suco de maracujá e uma vistamina de leite com frutas, mais uma vez servidos em tempo recorde, e com um produto muito bem feito.

Além, de termos sido servidos com refeições de boa qualidade, o atendimento, apesar de muito diferente do recebido no Quintal do Bráz, também foi excelente. E desta vez, não porque o garçon trabalha para um grande marca, mas sim, porque ele faz aquilo com o coração, e não é preciso trabalhar para uma grande marca pra se trabalhar desta forma.

Não estou julgando, dizendo que um garçon é melhor do o outro, ou que todos deveriam ser assim. Mas o fato, é que cada vez que sento em uma mesa de restaurante é assim que espero ser tratado, como um lord inglês, ou como um sobrinho, um amigo...

Quando você senta na sua mesa para trabalhar o seu chefe, a sua empresa, o seu cliente, espera a mesma coisa de você, que você os trate como um lord inglês, ou um amigo que se preza muito!

Se o seu chefe te pedir, você está preparado para entregar um bom X-Fillet Mingon Acebolado, ou só o fará bem se em nome de uma grande marca?

3 Comentários:

adriana disse...

:) a companheira concorda! rs

glayson disse...

eu concordo, sou garçon (vendedor.), e gosto de atender igualitariamente meus clientes, tanto ricos, como os que tem dinheiro.
glayson_love@hotmail.com

glayson disse...

sou de Quixeramobim-ce trabalho no hotel veredas do sertao más, trabalhei em casas muito sofisticadas em fortaleza-ce. de requinte e atendimento merecivel para a clientela.
eu escrevo isso para salientar que eu nao trablho como garçon, faço ARTE, por que domino o que faço e sou convicto da forma que faço. quando se ama aquilo que faz ou ministra, vc nao trabalha, voce faz "arte".
edglayson tavares.

Homero Carmona... © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO